OK

OK Cancelar

Obrigado

Fechar

Perimenopausa e pílula: será que pode parar de fazer contraceção?

Já sente os primeiros sintomas da menopausa. Mas será que é realmente possível engravidar na perimenopausa? Descubra tudo!

Perimenopausa e pílula: será que pode parar de fazer contraceção?

Com o fim do período fértil da mulher, a necessidade de um anticoncepcional deixa de fazer sentido. Certo? Nem sempre! Isto porque, na perimenopausa, a mulher não deixa de ser fértil de forma imediata, embora já possa estar a experienciar outros sintomas próprios desta fase. Falámos com a Dra. Lisa Vicente, ginecologista e sexóloga para esclarecer todas as dúvidas.

Como é que tudo acontece?

Qualquer que seja o método de contraceção que usa, pode ter a tentação de parar, por achar que já não engravida. A fase de transição para a menopausa – também chamada de perimenopausa - pode levar vários anos. É fundamental que saiba que, mesmo depois do início dos primeiros sintomas, a menstruação e a ovulação podem ainda durar algum tempo. O seu organismo não para de funcionar, da forma como o conhece, do dia para a noite. Pelo contrário.

Lisa Vicente, explica: “Na perimenopausa, existe uma diminuição dos folículos dos ovários e, por isso, uma diminuição da fertilidade. Mas podem continuar a existir algumas ovulações e, consequentemente, o risco de engravidar é real. Saiba que para muitas mulheres a perimenopausa pode durar alguns meses, ou até mesmo alguns anos.”

Conseguir interpretar sozinha os sinais do seu corpo pode acabar por se tornar uma tarefa exaustiva e sem grandes resultados concretos. A especialista salienta: “As flutuações hormonais que estará a sentir serão responsáveis por irregularidades no ciclo menstrual e também por sintomas como: calores súbitos (“afrontamentos”), dificuldade em dormir uma noite completa (“estar sempre a acordar com calor”), maior irritabilidade da fase pré-menstrual, ou diminuição da lubrificação vaginal nas relações sexuais, por exemplo.

Por isso mesmo, é fundamental conhecer ao máximo a fase em que o seu sistema reprodutor está junto da sua equipa especializada de saúde. Para estas questões específicas, marque uma consulta com o seu médico de família e, depois, com o seu ginecologista. Mas, por via das dúvidas, enquanto aguarda pelo encontro, não interrompa a sua contraceção. Será sempre a solução mais confiável!

Mas é realmente possível engravidar na perimenopausa?

A resposta correta é um SIM! A Dra. Lisa Vicente, explica-lhe: “Mesmo com todas as mudanças e oscilações hormonais, e sabendo que a fertilidade e a perimenopausa são vividas de formas diferentes, por mulheres diferentes, sabe-se que existem mulheres que engravidam espontaneamente depois dos 45 anos. Mesmo após os 50 anos, embora o risco de gravidez reduza e a sua incidência seja mais rara, continua a ser recomendado o uso de um método contraceptivo se tiver uma vida sexual ativa.”

E, não se esqueça, a prevenção das infeções de transmissão sexual não tem idade! Com um/a novo/a parceiro/a deve sempre pensar na proteção mútua.

Outros artigos sugeridos

Menopausa: O perigo dos ataques cardíacos em 10 pontos-chave

Saúde

Menopausa: O perigo dos ataques cardíacos em 10 pontos-chave

Sabia que as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte na mulher nas sociedades ocidentais, ultrapassando o cancro da mama, cancro uterino e a mortalidade periparto. Estudos apontam para um  aumento da incidência de complicações  cardiovasculares depois da  menopausa. Descubra o porquê em 10 pontos-chave.

ler artigo

go to top

Skinconsult

DIAGNÓSTICO DE PELE BASEADO NUM ALGORITMO DE ENVELHECIMENTO DESENVOLVIDO COM DERMATOLOGISTAS E INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

1 minuto
para analisar
a tua pele

Tira uma selfie

Preenche o perfil

Descobre a tua rotina de skincare personalizada

Linhas finasA tua força
Rugas dos
olhos
A tua prioridade
Falta de firmeza

Faz um
Diagnóstico de pele

circle1circle2circle3circle4