OK

OK Cancelar

Obrigado

Fechar

O envelhecimento da pele na Menopausa

  • Favoritos

Vivemos num mundo em que a imagem é importante, e neste momento da vida de uma mulher, há que saber o que acontece à pele para estar preparada. A Dra. Manuela Paço explica.

O envelhecimento da pele na Menopausa

A pele é o órgão mais visível do corpo. Parece um dado adquirido, mas a verdade é que muitas vezes tendemos a esquecer-nos deste pequeno pormenor. E esquecemos também que, com a passagem dos anos, a pele envelhece ao permanecer em contacto com o ambiente.

Sabia que existem dois tipos de envelhecimento da pele? O intrínseco, ou seja, o cronológico, que tem a ver com a passagem do tempo e que depende de fatores próprios, genéticos e hormonais. Por outro lado, existe o envelhecimento extrínseco, que depende de fatores ambientais aos quais estamos expostos diariamente e entre os quais nos movemos e do estilo de vida que levamos. 

E porque falamos de envelhecimento da pele ligado à menopausa? Porque a menopausa é um fator hormonal que acelera o seu envelhecimento e é inevitável. Por mais que se queira negar, não vale a pena, porque este é um momento que chegará certamente, mais cedo ou mais tarde. 

Claro que isto não quer dizer que tenhamos de ficar de braços cruzados, até porque existem mulheres com ótima pele aos 60, 70 e até aos 80 anos. Não há motivos para entrar em desespero com este aspeto. É certo que uma pele de 50 anos não é igual a uma de 20, não tem os mesmos recursos para resistir a agressões, sejam elas externas ou simplesmente ao passar do tempo. Contudo, é possível continuar a ter uma pele bonita. Mas antes, importa perceber o que acontece exatamente.

Sabemos hoje que mais ou menos 30% do colagénio da pele destruído cinco anos após a menopausa. E o colagénio, como sabemos, é uma fibra estrutural para a pele. O que acontece é que, durante a menopausa, há um declínio da função dos ovários e os níveis de estrogénio produzidos — que, naturalmente influenciam a pele — vão diminuindo, o que causa alterações progressivas que ocorrem antes, durante e depois deste período.

Quando a pele, ainda antes da menopausa, começa a ter uma diminuição de recetores de estrogénios — que são de dois tipos, alfa e beta —, a produção de colagénio também é condicionada. O colagénio deixa de estar distribuído de forma tão organizada pelas várias células, ou seja, a pele perde o seu principal suporte. 

O mesmo acontece com as fibras elásticas, outro dos elementos que mais sustenta a pele. Durante a menopausa, há também uma diminuição de umas células, os fibroblastos, que sintetizam o colagénio, as fibras elásticas mas também o ácido hialurónico, que faz parte da derme e é responsável pela firmeza e hidratação. 

O que é que vemos? A pele torna-se menos firme, não está tão luminosa, está menos brilhante e surgem, numa primeira fase, as rídulas, rugas menos profundas, e a longo prazo as rugas. Podem também aparecer algumas alterações de pigmentação.

Além de tudo isto, há alterações na produção de sebo devido à mudança no equilíbrio relativo entre os estrogénios e os androgénio a nível cutâneo. Isto faz com que, nos anos antes da menopausa, algumas mulheres possam ter acne, que muitos ligam à adolescência mas pode também ocorrer entre os 40 e os 50 anos. Depois da menopausa, podem também ocorrer pontos negros, sem quaisquer outras lesões.

O que se pode fazer?

É certo que não é possível ter uma pele de 20 anos aos 50. Mas isso não quer dizer que não possa ter uma pele bonita. Mas, para isso, o mais importante é mudar a sua atitude e a forma como a cuida. Se não o fez até ali, pelo menos, que comece agora. 

Há que mudar de atitude, e essa mudança passa por fazer algumas alterações na sua vida:

— Fazer exercício físico
— Ter uma alimentação saudável e equilibrada
— Manter uma boa rotina de sono (é do mais terapêutico que possa imaginar para a pele)
— Ter cuidados diários com a pele

Se até aqui nunca teve grandes cuidados, é importante que os passe a ver como essenciais a partir de agora. Não vale a pena fazer qualquer tratamento estético se, na verdade, não está a ter cuidados regulares com a sua pele. 
Em primeiro lugar está a limpeza. A pele tem de ser limpa diariamente, de manhã e à noite, de maneira a remover as impurezas que a exposição a elementos como a poluição possam ter causado. 

Depois, a reconstrução é fundamental. É por isso importante que aposte em cuidados que se foquem, não só na nutrição, como na reconstrução da pele para lhe possa ser devolvida toda a sua vitalidade.

Hoje em dia, existem vários produtos com eficácia comprovada no restauro do colagénio da derme. Estes produtos, ricos em ingredientes como os péptidos, o retinol e os antioxidantes têm a capacidade de restaurar o colagénio e as fibras elásticas da pele, além de colocarem os fibroblastos em funcionamento novamente. Estas são armas de que todas as mulheres dispõem e que podem usar diariamente.

Outro dos cuidados a ter diariamente é a aplicação de proteção solar porque, na verdade, as manchas que surgem durante este momento de mudança podem ser evitadas se usar um protetor solar diariamente e não apenas no verão. Sabia que as manchas na pele podem ser causadas tanto pela luz solar como pela luz azul emitida pelos computadores e telemóveis? É por isso que deve usar protetor solar todos os dias, e não apenas durante as férias.

Outros artigos sugeridos

go to top