OK

OK Cancelar

Obrigado

Fechar
Previous

O COURO CABELUDO É AFETADO PELA POLUIÇÃO DO AR?

Previous

O COURO CABELUDO É AFETADO PELA POLUIÇÃO DO AR?

A poluição atmosférica consiste, no fundo, numa combinação de partículas (PM2,5 e 10 principalmente) e compostos gasosos (NO, O3, SO2, CO, CO2, etc). O impacto da poluição na pele ainda é pouco estudado e, em particular no couro cabeludo, foi até à data ignorado, sendo um novo capítulo da investigação sobre pele.
Em resumo, um couro cabeludo normal (não calvo) provavelmente consegue minorar o impacto da poluição e, por associação lógica, dos compostos gasosos, já que os contactos com a PM são provavelmente baixos pela proteção conferida pelos cabelos presentes, fixando esses pequenos elementos. Compostos gasosos altamente difusos conseguirão atingir o couro cabeludo e interferir com as proteínas na epiderme e nos lípidos do couro cabeludo. Muitos destes compostos gasosos apresentam uma propriedade fortemente oxidante, como o Ozono (O3), um marcador claro da poluição urbana e industrial. A maioria dos lípidos do couro cabeludo não é saturado (esqualeno e ácidos gordos), estando então suscetível ao processo de oxidação e de peroxidação, e tornando-se modelos e marcadores fiáveis da poluição, como recentemente publicado pela L'Oréal Advanced Research. Visto que formas oxidadas dos lípidos têm um impacto negativo nos tecidos vivos, o impacto da poluição no couro cabeludo pode ser avaliado pela quantidade de lípidos oxidados. A elevada proporção de Esqualeno e ácidos gordos não saturados presentes no couro cabeludo torna-o num alvo lógico para a poluição oxidativa, como detetado nos rostos dos habitantes do México e de Xangai. Uma situação comparável deveria então ser encontrada em couros cabeludos saudáveis, sabendo o potencial pro-inflamatório dos lípidos peroxidados, provavelmente origem de sensação de prurido, assim como o colesterol na epiderme, proteínas na superfície do couro cabeludo e amino-ácidos livres que poderão, por sua vez, sofrer processos oxidativos.

IMPORTANTE RELEMBRAR

Não existe nenhum racional, atualmente, para excluir o impacto da poluição atmosférica sobre um couro cabeludo normal, sobretudo através de elementos gasosos oxidativos como o Ozono. Os lípidos e proteínas no couro cabeludo são, provavelmente, os melhores marcadores de tal influência.

HUB_CONTENT_DHSC_CONTENT_54_IS_SCALP_CONCERNED_BY_AERIAL_POLLUTION.jpg