A marca Vichy está empenhada em preservar a confidencialidade dos dados pessoais que você transmite através deste formulário. Os dados pessoais recolhidos através deste formulário estão sujeitos a um tratamento concebido exclusivamente para Vichy, para efeitos de gerir o seu registo e gestão de orientação ao consumidor. Sob este tratamento, concordo que meus dados são transferidos em subsidiárias no exterior da UE, alguns deles não têm um nível adequado de protecção na acepção da Lei de Protecção de Dados e Liberdade.

Tem o direito de excluir dados de acesso, rectificação e oposição que lhe dizem respeito. Você pode exercer esse direito, a qualquer momento, enviando um e-mail para  servico.consumidor.lop@gmail.com

Pode consultar a qualquer momento o seu Política de protecção de dados pessoais e as nossas Menções Legais.

OK

OKCancel

Queda de cabelo: origens, sinais e formas de combate

O nosso cabelo é um dos nossos maiores escudos, como explica o médico dermatologista, Miguel Trincheiras: “ É uma preocupação fundamental de todas as pessoas, já que se trata de um órgão relacional, por excelência, extremamente valorizado na nossa sociedade: as pessoas sentem-se protegidas por terem cabelo e sentem-se desprotegidas quando se apercebem da sua queda. E isso, evidentemente, mexe com a autoestima de cada um”. Chega quase sempre nesta altura, isso já sabemos, mas porque é que existe? E o que podemos fazer para prevenir?

Este fenómeno que se compara com a queda das folhas das árvores, também por ocorrer com maior incidência no Outono, chama-se alopécia e caracteriza-se pela perda abundante de fios capilares. O seu nível de gravidade varia de pessoa para pessoa e consoante diferentes fatores. "O cabelo é um tecido orgânico com um metabolismo bastante ativo. Por essa razão, é o primeiro a ser afetado em situações orgânicas severas, tais como: tratamentos tóxicos, carência de vitaminas, anemia, pós-parto, menopausa ou outras alterações hormonais, ou, até, devido a situações de stress emocional. Todos estes factores, para além da predisposição genética, têm uma grande influência no crescimento saudável do cabelo."- expõe o dermatologista.

Quando devemos consultar um especialista?


É importante reter que um adulto saudável possui, em média, 150.000 fios de cabelo, sendo  considerado normal que caiam entre 50 a 100 por dia, visto que faz parte do processo de regeneração capilar. E este processo após o verão é mais intenso em 70 % das pessoas, devido à fragilização causada pelo sol, água, sal, cloro e desidratação. O que não é normal é assistir a um aumento da média diária, de fios perdidos. Já Edilson Soares, hairstylist do Unique Hair and Body Clinic, alerta que “é fundamental estar atento. Não se pode deixar o problema chegar ao ponto em que a falta de cabelo se torna visível.”. E isto porque, tal como em qualquer outro problema de saúde, quanto mais cedo for descoberto mais rapidamente se pode combater e, assim, obter resultados favoráveis.


O que fazer?


Hoje em dia, já existem vários cuidados e soluções para prevenir ou atenuar a queda de cabelo. Deve optar por produtos que ajudem a fortalecer o bolbo capilar para que, dessa forma, consiga um fio mais espesso e resistente. Há ampolas, vitaminas e shampoos de utilização diária. Os produtos podem ser utilizados quer por homens, quer por mulheres, sendo que é habitual que exista uma gama para cada género. Mas em qualquer caso o aconselhamento junto de um médico dermatologista ou de um profissional de farmácia é fundamental e determinante para o sucesso de cuidado.

Factores que podem estar a potenciar a queda do seu cabelo:

  1. Falta de proteína: Quando há uma carência de proteína no nosso corpo, um dos primeiros a sofrer é o couro cabeludo, pois a produção de cabelo reduz bastante. A queda só se irá verificar três meses após a redução de ingestão de alimentos proteicos e, para a evitar, inclua peixe, ovos e bróculos na sua dieta.
  2. Perda de peso repentina: Tal como a pele, o cabelo também sofre com as perdas de peso do nosso corpo. Evite oscilações repentinas de peso.
  3. Escova: A escova de cabelo deve ter as cerdas maleáveis e que não agridem o couro cabeludo. Outra acção que deve evitar é pentear o cabelo enquanto este está molhado, pois é o seu estado mais frágil e quebra com maior facilidade.
  4. Temperatura da água: Opte por água morna ou fria para lavar o cabelo. A água exageradamente quente, para além de conferir um aspecto baço ao cabelo, abre demasiado as cutículas, fragilizando o cabelo,  e deixa a pele do couro cabeludo irritada.

O nosso produto icónico

Mais lidos

panquecasdeaveia

Rosto

3 Snacks saudáveis e práticos para o Inverno

Com a chegada do frio, a comida de conforto volta também à ordem do dia e fica cada vez mais difícil resistir ao aroma perfumado e  quente dos bolos que saem do forno ou das bolachinhas que acompanham o chá a ferver.

ler artigo

go to top